domingo, 7 de dezembro de 2008

Literatura de Cordel.



"Sou um poeta do mato/ vivo afastado dos meios/ minha rude lira canta/casos bonitos e feios/ eu canto meus sentimentos/ e os sentimentos alheios"(Patativa do Assaré)


Trazida para cá pelos portugueses, a literatura de cordel se consolidou no Nordeste brasileiro, adquirindo características peculiares. Há indícios que remetem a origem do cordel à Portugal e Espanha, mas, ainda na Antigüidade, gregos, romanos e fenícios desenvolviam narrativas que tinham aspectos semelhantes as produzidas na Península Ibérica. Existe também a hipótese do cordel ter sido cultivado a partir do Trovadorismo da região de Provença, sul da França. Portanto, como manifestação popular, a literatura de cordel tem origem incerta, ou pelo menos controvertida, sendo uma espécie de compilação de características agregadas no decorrer do tempo, sem data, nem local definidos. Já o nome cordel, que nos foi legado de Portugal, está relacionado à forma com que os folhetos eram postos para venda: pendurados em cordões, lá chamados de cordéis.
Cordel é uma narrativa poética, cuja temática se apresenta, por demais, diversificada. A religiosidade do sertanejo, levando à mitificação de figuras como padre Cícero, o cangaço, registrando as proezas de Lampião, o adultério, permeando com marcas humorísticas os causos contados e o êxodo rural motivado pela seca são temáticas recorrentes, expressadas de maneira genuinamente nordestina, obedecendo às tradições orais do sertanejo, isto é, a espontaneidade da fala matuta.
A versatilidade do cordel é comprovada quando analisamos suas diversas finalidades Além de retratar a realidade do sertanejo, que sofre, que reza, que foge da seca, é também utilizado como recurso publicitário. Fruto de encomenda em prol do setor comercial, muitas vezes, o cordel é produzido para vincular informações sobre produtos, shoppings, supermercados e até mesmo políticos. Dessa forma, é bem verdade que o cordel perde o viço peculiar do ritual poético, para edificar figuras ideais que possam promover o consumo, conseqüentemente, o lucro.
A literatura de cordel é feita para ser cantada, ou seja, o apelo sonoro dos versos faz com que o texto só seja por completo explorado quando lido em voz alta. A rima do cordel advém da oralidade em que o cordelista constrói a narrativa. Portanto, os versos do cordel são feitos para os ouvidos, não para os olhos, daí a necessidade de se recitar.
Se os versos aguçam a audição, a xilogravura da capa oferece à visão o apuro dos cortes feitos na madeira. Produzida artesanalmente, a xilogravura apresenta-se ao leitor como uma ilustração que antecipa o conteúdo do texto, anunciando a temática a ser narrada.Veja:

A literatura de cordel exprime, de maneira singular, a rica cultura de um povo que, apesar de sofrido, tem fé e coragem para resistir ao flagelo do semi-árido nordestino. É dessa terra, longe de ser garrida, que brota a inspiração, a verdadeira Inspiração Nordestina de Patativa do Assaré, e a influência para vários poetas e prosadores como João Cabral de Melo Neto, Ariano Suassuna e Guimarães Rosa.


Heitor Nogueira.

54 comentários:

Vanessa Lee disse...

Eu acho muito intessante a literatura de cordel. Inclusive, na faculdade, tinha um cara alguns semestres à minha frente que fazia seus livrinhos de cordel. Mas acho que não faz (mais) parte da cultura aqui na Bahia, pois quase não encontro, mesmo no interior. Ou será que eu não procuro direito?

Meus blogs:
http://lasanhadeabobrinha.blogspot.com/
e
http://papodeprofessora.blogspot.com/

Ana Lucia Nicolau disse...

a literatura de cordel é uma forma inteligente e criativa de expressão, marcada pela personalidade de uma população sofrida

Marcelle Lins disse...

Oii Heitor !!

Não conheço mto bem a Literatura de cordel, pois moro no Rio !!
Gostei da "aulinha" particular daq do blog !! xD

Beijão Pra Ti, rapaz

[ www.maisq1historia.blogspot.com ]

Leo Pinheiro disse...

As vezes compro por pena dos malas de Santa Tereza. rs

O estilo cordel é bem legal, mas algumas histórias são muito chatas e as pessoas não tem coragem de admitir.

Politicamente incorreto?

Talvez.

Preconceito?

Definitivamente não.

Mas como há boa literatura e má literatura, barroca, clássica, elizabetana, policial etc; existe boa e má literatura de cordel.

Mayna disse...

Acho super interessante a literatura de cordel, apesar de não ter muito acesso.


http://maynabuco.blogspot.com

Antonoly disse...

A literatura de cordel é muito interessante e deve ser preservada e valorizada a todo custo.

Welton Nogueira disse...

olá, rapaz.
passando aqui para prestigiar.
te linkarei para dar uma força.
abraço.
mas pelo jeito, você não precisa, né?
já tem 6 comentários logo no primeiro post
eu tive que ralar pra caramba pra conseguir meus 10 leitores fiéis.
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

JOÃO PAULO TOZETTI disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
André disse...

o meu estado é cuzao para tudo que é popular. ta certo que muito coisa é merda na literatura de cordel...mas é honesto.

www.blogdaincerteza.blogspot.com

Airton disse...

opa legal....cara eu tenhu me interessado em ler ultimamente
esse mes comprei um livro mto bom sobre patton

abraço

Massa disse...

Muito bom o blog, parabéns!!!

www.entaofudeu.blogspot.com

Diego disse...

Foi uma grande inspiração para varios poetas...inclusive para os meus trabalhos

Alisson disse...

Nem todo cordel é de qualidade, mas os que preservam esses traços são realmente encantadores!

me influencio nos coreis (textos) para fazer meus quadrinhos!


www.dacordasuapaz.blogspot.com

Rosangela A. Santos disse...

Seu pots é pra lá de interessante adorei mesmo e aprendi tb ..

vou voltar sempre aqui .. sucesso..

Abç..

*
http://www.analucianicolau.adv.br

Dário Souza disse...

Cara sempre fui fascinado por leitura de cordel,as historia sao tao interessantes e a forma como sao mostradas,essa literatura deveria ter uma divulgação maior pela midia

TIAGÃO disse...

pouco conhecia, mas me interessei, vou procurar ler masi sobre ela!

Ms. Molly Bloom disse...

Gostei muito do seu post. O blog é bacana, proposta interessante.

Tem mesmo de mostrar pro Brasil a sua cultura.
Bom domingo.

André disse...

eu ja tinha comentado sobre o cordel...um fanzine. eu ja fiz mas foi um fracasso.

Jenneffer Keffer disse...

Ariano Suassuna é meu favorito.

Quando fazia teatro apresentamos 2 peças inspiradas no cordel dele!

Parabéns pelo blog!

Informação de conteúdo!

Visite o meu
http://jkdesaltoalto.blogspot.com/
Publicidade de SALTO ALTO

Carlos Júnior disse...

Como bom nordestino ADORO literatura de cordel.

http://somosutopicos.blogspot.com/

Pontiga disse...

Nunca tinha tive oportunidade de ler Cordel, mas.... Muito interessante o Blog !^^

meus Parebens pra ti continue assim !!

quando quiser da uma passadinha :p

www.blogdopontiga.blogspot.com

Tiago disse...

conheço pouco da literatura de cordel, mas do pouco que conheço achei "inteligente". Hmm.. será que você me entende? rsrs

abraço
www.mundoglam.com.br

Crisneive Silveira disse...

A literatura de cordel para mim é uma das mais difíceis. Rimar sons de palavras simples (até mesmo neologismos) para falar da realidade de um povo tão sofrido é mais que um dom. O cordel é mesmo feito para o seu povo.
Heitor, parabéns pelo texto.

André disse...

ja é a quarta vez que visito teu blog. poderias atualizalo mais vezes.

Jonatas Fróes disse...

Achei a temática do blog bastante interessante. Não sei se irá falar sobre diversos gêneros literários, indicar obras, expôr textos, mas acredito que existe uma necessidade hoje de se conhecer melhor a literatura. Com a internet muitas pessoas deixam de lado a leitura...

Boa sorte!

[]'s

Musikaholic

jcdigital disse...

vamo atualizar o blog hein preguiça, hehe

cara essa literatura de Cordel é muito massa, vi uma vez no programa do jô um cara lá narrando algo. gostei.

;D

Guilherme Bandeira disse...

Sou públicitario, já fiz uma peça só com esses desenhos...acho super maneiro.

Parabéns pelo blog!

Feliz Natal

www.olhaquemaneiro.com.br

Gláucio disse...

O bom do povo brasileiro é que encontram "n" formas de se expressar. E o mais importante nisto tudo é que essas formas de expressão por mais simples que sejam, tem um valor cultural incalculável, já que é um registro original de um povo, com seus desejos, alegrias e tristezas. Um cotidiano retradado sem receber modificações de terceiros, como a midia por exemplo. É a verdadeira "cara" de um povo, a verdadeira alma de um povo batalhador e acima de tudo, um povo vencedor.

Marcel disse...

Vc não poderia ter escolhido tema melhor para inaugurar seu blog! Literatura de cordel é uma das expressões mais dignas da arte brasileira (na minha humilde opinião, claro).

Sou do ES e nunca vi um cordel, o que já li vem de outros livros e da internet. Mas, pelo pouco que eu conheci, a poesia dos cordéis têm, sim, uma musicalidade peculiar inegável.

Um grande abraço e boa sorte com o blog!

รєяєเα єяเкα! disse...

Nossa, muito legal conhecer sobre esse tipo de literatura, terminei o 2º grau ano passado e posso afirmar nunca ter ouvido falar sobre Literatura de Cordel.
Achei seu texto algo que prende mesmo a atenção das pessoas!
Adorei!

Ótimo 2009 a ti!

Bjo!

Alice Daniel disse...

Acho cordel lindo e dificílimo de criar. No Nordeste é muito comum. Tenho um site de poesias também (http://alicedaniel.prosaeverso.net), infelizmente sem cordel.

Felipe disse...

Cordel é muito legal! Na escola sempre gostei das aulas na época do dia do folclore, pois queria fazer "os livrinhos presos com cordinhas"...

Bobagem com Mouse disse...

Tenho pouco conhecimento em relação a esse assunto,mas achei interessante sua postagem cara, cordel relata muito a vida dos nordestinos,o sofrimento e a garra de um povo que no meu ponto de vista são praticamente herópis por viverem em lugares tão esquecidos e com pouco recursos!!!
Abraço!!!

Lucas Soares disse...

Estudei esse estilo literário esse ano em artes. Já o tinha visto a uns anos atrás... É uma forma bem interessante de se expressar!
E lembrei-me que já o vi numa feira de ciências...
Ele é daqui do Nordeste!!!
=)

http://esperaemdeus.blogspot.com/

Veiga disse...

ah rá.

^^

Ellen Regina - facetasdemim disse...

Ainda me recordo de quando a professora do ginásio passou um trabalho em que deveríamos produzir literatura de cordel, com direito a gravuras, rimas e acabamentos, rs.

Foi um trabalho delicioso de se fazer!

Jamile Gonçalves disse...

Olha... Antes de qualquer coisa te parabenizo pelo texto. Muito bem escrito!
E depois... Expresso minha admiração por esse patrimônio sócio-cultural que pertence a NÓS nordestinos!!! Temso que nos orgulhar de nossos repentistas, "cordeleiros", nossos Luís Gonzaga, Patativa do Assaré, Jackson do Pandeiro e tantos outros talentos anônimos.
Valeu!

contos disse...

Aqui em Pernambuco o cordel ai da é muito utilizado

Lara Sousa disse...

Não gosto muito desse tipo de literatura, mas eu adimiro a forma como cada povo busca de alguma maneira passar adiante a sua cultura.

beeijO

Fernanda disse...

Já dei uma aula sobre cordel -- aula-prova de estágio do magistério. Não sabia nada, precisei estudar e achei interessantíssima a estética. Comprei alguns cordéis para mostrar à turma, e os alunos, no final, precisaram produzir seus cordeizinhos. Até que alguns levavam jeito... Beijos e muito sucesso pra você!

Bruninho disse...

Mto interessante esse tipo de literatura

Blog ta precisando de uma atualização ein .. oasksoaksaosk

visite-> www.xisde-xd.com

Márcio Ribeiro disse...

Que belo post! Ariano Suassuna e Guimarães Rosa foram ícones em nossa cultura. Esse gênero é bem interessante, e foi muito interessante a sua abordagem.

Abraço e um feliz 2009!

www.comideiaseideais.blogspot.com

Suzy disse...

Belo post e blog! útil mesmo!
Até a add nos favoritos. Tua palavras me remeteram ao baú, vi isso no 2ºGrau:)

Caso puder passa lá


suzymacedo.blogspot.com

Maxi1000iano disse...

Perfeito!

É um assunto muito interessante. Nunca tive oportunidade de pegar um cordel em mãos e ler. No entanto tive a oportunidade de escutar os contos através de meus ancestrais nordestinos. E são de uma riquezas sem igual.

Parabéns pelo blog.

Continue firme!

Feliz Ano novo

Paz

Miriã Soares disse...

Gostei de ler sobre isso, e ha muito não leio literatura de cordel...

Miriã Soares disse...

Poderia indicar onde e como adquirir pela net!!!

Liipee disse...

Nesse ano fizemos trabalho sobre a literatura cordel..
é interessantíssima..
e as vezes ainda rola umas risadas..
interessante..
valeu, e abraço !

Thiago Damião disse...

Só gente grande no cordel, Ariano, Guimarãoes, João Cabral, e o próprio Patativa, é uma cultura bem interessante a do cordel.


passa no meu?

http://thiagodamiao.blogspot.com/

blog de poeisas e samba, autorias minhas

abraço

Jay disse...

Literatura de cordel talves seja uma das coisas mais interessantes do Brasil, por ser tão diversificada e tão facilmente difundida.
Parabéns pelo blog

Lidianne disse...

digo logo que amo cordel e, cmo pernambucana, tenho mtos em ksa!

Juliano Jacob disse...

Adoro esse tipo de narrativa... Requer muito trabalho de criação... Enredo, sonoridade, palavras milimetricamente posicionadas, dá preguiça só de pensar... Hehehehe... Cara, adorei seu Blog... Estarei sempre por aqui... Vida inteligente na Web... Obrigado pela visita no Gavetão...

Pombinho-virtual disse...

.São os meus preferidos,artistas que recebem este dom de fazer sua poesias com muito humor




http://casadesogra.blogspot.com

Sandrinha disse...

Adoro a literatura de cordel!Parabens pela iniciatiVa!

POETA ISMAEL PEREIRA disse...

Cordel é pura expressão
Na rima o fel virá mel,
O meu papel é rimar,
Faço repente e Cordel.
Ensino Brasil à fora...
Quem quiser cordel na hora,
Converse com Ismael.